Se não gostas, não olhes. Eu gosto do meu corpo.

<a class="pintag searchlink" data-query="%23gypsywarrior" data-type="hashtag" href="/search/?q=%23gypsywarrior&rs=hashtag" rel="nofollow" title="#gypsywarrior search Pinterest">#gypsywarrior</a>

Já revelei por cá que gosto do meu corpo. Sempre me senti bem com ele e não me sinto desconfortável por exibi-lo na praia, por exemplo, mesmo sabendo que tenho estrias para dar e vender e a pele com vários tons devido à queimaduras graves que tive.
Apesar de me sentir plenamente bem, todas as vezes que ia comprar roupa não ficava lá assim tão feliz. É verdade, há lojas em que os espelhos dos provadores nos enganam e já sofri com isso. Já comprei peças de roupa que na loja gostava e, chegando a casa e vestindo-as, achava que ficavam horríveis em mim.
Nunca fui uma pessoa "gorda", mas há muitos anos para cá que era assim para o "cheiinha". O meu aumento de peso de 13 kg deu-se a partir do momento em que comecei a tratar os quistos os ovários com comprimidos. Mesmo assim, não foi por isso que deixei de gostar do meu corpo.
Tenho coxas bem generosas e um peito mais "avantajado", é verdade. O grande problema residia justamente neste último, onde muitas camisolas e blusas que gostava acabaram por ficar nas lojas por não terem tamanho para mim. Não era uma questão de ser justo nos ombros nem na barriga, mas sim no peito.
Vai daí que há um bom tempo atrás, numa ida ao médico para "dar uma vista de olhos" ao meu sistema nervoso, que é naturalmente "acelerado", o médico "receitou-me" correr. Correr ou caminhar durante 30 minutos a uma hora, duas a três vezes por semana.
Foi a partir daqui, e seguindo a "terapia" à risca, que comecei a perder peso. Num mês foi um kilo ao ar e nos meses seguintes andava dentro deste número.
Nas férias do Natal, calhou de um dia estar a beber um iogurte e ter visto a informação nutricional. Assustei-me! Em cerca de 150 ml, eu estava a digerir 18g de açúcar, ou seja, cerca de 1/3 do recomendado por dia em apenas um iogurte.
Lá se fez o click!. Tenho de reduzir os açúcares, mas não drasticamente.
O que fiz foi, basicamente, trocar os iogurtes e comer menos bolachas e bolos processados. Agora, só consumo iogurtes que não excedem os 6/7g de açúcar. E na verdade, descobri que, por exemplo, os iogurtes magros da Mimosa conseguem ser mais saborosos que os normais. Já não os dispenso e são os meus iogurtes de eleição. Afinal, não me custou nadinha trocar de iogurtes.
Quanto ao consumo de água, zelei por ingerir 1,5 litros de água por dia. Agora, no verão, chego mesmo a consumir entre 2,5 a 4l de água por dia, sem exageros. Sendo calorenta, estou sempre a mandar água para dentro pois só assim suporto o calor (e, consequentemente, ando sempre a correr para a casa de banho para soltar as urinas ahahahah).
Muitos meses passados, perdi 9 kilos e perdi muito volume. Não fiz mudanças drásticas na alimentação, apenas fui fazendo umas correções e faço corridas e caminhadas. Se tiver que enfardar bolo numa festa como se não houvesse amanhã, faço-o sem problemas. Sempre fui uma amante de comida (e também sou contra o desperdício). Bebo refrigerantes aos fins de semana e não dispenso o meu pão com fiambre ou manteiga ao pequeno-almoço.
Sinto-me mais saudável e menos sedentária. Correr e caminhar tem feito mais do que simplesmente perder calorias. Tem-me feito bem psicologicamente, até porque agora sinto que consigo controlar melhor esta minha "aceleração". É certo que algumas vezes custa-me imenso sair de casa para correr, mas se não o fizer, já fico com a consciência pesada. Ando nas corridas de 5 a 6km. Para quem nem 1 km aguentava, até evoluí muito bem.
Passei dos 72 para os 63 kg. É certo que tenho menos volume e estou mais magra, todos me dizem isso. Mas as estrias e a pele em vários tons não desaparece, assim como a celulite. Já criticaram duramente isto mesmo em frente a mim. Se me senti mal? Não. Só lhes respondo: "Se não gostas, não olhes. Eu gosto do meu corpo".
Alguns a olhar para mim como se tivesse dito a maior barbaridade deste mundo. Esqueçam, meus amigos, para me ferirem na autoestima não é fácil. Sinto-me tão bem tal como sou!
Tudo isto para vos dizer que, apesar de tudo, amem-se tal e qual como são. Se quiserem mudar algo, façam-no por vós e não para agradar à sociedade. Afinal, sempre se é criticado por ter cão como por não o ter, já diz a sabedoria popular.
Em tudo existe beleza e uma mulher sempre será bonita. Afinal, a nossa verdadeira beleza não é aquela que toda a sociedade vê. O que de belo há em nós reside dentro, na nossa personalidade e isso só alguns conhecem.
Sou adepta da crença de que é muito mais importante impressionar com a nossa personalidade e com os nossos atos do que com o nosso "físico". Quem realmente aprecia a nossa beleza, não vive criticando o nosso corpo.
Se não gostas, não olhes. Eu gosto do meu corpo. Ladies, sintam-se bem e sejam feliz!

You May Also Like

8 comentarios

  1. O exercício faz bem a tudo! Ainda bem que consegues gostar do teu corpo e dizê-lo cá para fora. :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Faz sim senhora, é como uma autêntica terapia!

      Eliminar
  2. Gostei da tua atitude. É mesmo esse o espírito :). Eu também responderia o mesmo.
    Também troquei de iogurtes quando descobri quanto açúcar tinham e também não me custou quase nada.
    Eu também bebo muita água. Como sou muito calorenta, tem que ser, e depois também faço corridas para a casa de banho xD.
    Beijinhos,
    Cherry
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aiii as correrias para a casa de banho ahahahah O que importa é gostar do que vemos ao espelho.

      Eliminar
  3. obrigada pelo comentário <3
    concordo plenamente, não podia dizer melhor :D

    www.pinkie-love-forever.blogspot.com

    ResponderEliminar
  4. Ora aí está um excelente texto vindo directamente da alma e com uma lição muito útil. Isso mesmo Andreia:) Beijinhos
    elisaumarapariganormal.blogspot.pt

    ResponderEliminar